28/07/2009

É PECADO BEBER VINHO?



O Vinho no Contexto da Igreja Primitiva

Ef 5:18 - E não vos embriagueis com vinho, em que há contenda, mas enchei-vos do Espírito.

Os textos bíblicos aqui usados serão 100% em grego original.

Introdução: 

Com base em 1 Tm 3:3 e 5:3, seria a Bíblia Sagrada um livro contraditório? Que termo ou termos gregos a Bíblia Sagrada emprega para a palavra “vinho”? Nos dias de Jesus e da Igreja Primitiva vinhos que se distinguiam um do outro? Como explicar a história e a presença do vinho no contexto da Igreja?

A Palavra “vinho” e Suas Etimologias:
• No hebraico do Velho Testamento, vinho é yayin. Obs: Este termo hebraico é encontrado 141 vezes no Velho Testamento e é usado para identificar diversos tipos de vinho fermentado ou não-fermentado (ver Nee 5.18, que fala de "todo o vinho [yayin]" = todos os tipos).
Nee 5.18. va'asher hâyâh na`aseh leyom 'echâdh shor 'echâdh tso'nshêsh-beruroth vetsipporiym na`asu-liy ubhêyn `asereth yâmiym bekhol-yayin (vinho) leharbêh ve`im-zeh lechem happechâh lo' bhiqqashtiy kiy-khâbhdhâhhâ`abhodhâh `al-hâ`âm hazzeh.
Por um lado, yayin aplica-se a todos os tipos de suco de uva fermentado (Gn 9.20,21; 19.32-33; 1Sm 25.36,37; Pv 23.30,31). Os resultados trágicos de tomar vinho fermentado aparecem em diversas páginas do Velho Testamento bíblico. Veja Pv 23.29-35
(versículo 30) lam'achariym `al-hayyâyin (vinho) labbâ'iym lachqor mimsâkh
(versículo 31) 'al-têre' yayin (vinho) kiy yith'addâm kiy-yittên bakkiys [ba][kos] `êynoyithhallêkh bemêyshâriym
O outro termo hebraico traduzido por "vinho" é tirosh, que, etimologicamente, significa "vinho novo" ou "vinho da vindima". O termo Tirosh ocorre 38 vezes no Velho Testamento e jamais identifica uma bebida fermentada, e sim um produto não-fermentado extraído da videira, tal como o suco ainda no cacho de uvas (Is 65.8), ou o suco doce de uvas recém-colhidas (Dt 11.14; Pv 3.10; Jl 2.24).

Joel 2:24. umâl'u haggorânoth bâr vehêshiyqu hayqâbhiym tiyrosh (vinho).veyitshâr
Brown, Driver, Briggs (Léxico Hebraico-Inglês do Velho Testamento) declaram que tirosh significa "mosto, vinho fresco ou novo" (o γλεύκους de Atos 2:13).
A Enciclopédia Judaica (1901), revela que o termo tirosh inclui todos os tipos de sucos doces e mosto, mas nunca o vinho fermentado". Tirosh, segundo a Palavra de Deus, possui "bênção nele" (Is 65.8); o vinho fermentado, no entanto, segundo a Palavra de Deus, em Pv 20:1, "é escarnecedor" e causa embriaguez (ver Pv 23.31). Além de yayin e tirosh, o Velho Testamento revela uma terceira palavra hebraica para identificar o “vinho” = shekar (encontrada 23 vezes no Velho Testamento). Significa: "bebida forte" (1Sm 1.15; Nm 6.3).
1 Sm 1:15. vatta`an channâh vatto'mer lo''adhoniy 'ishâh qeshath-ruach 'ânokhiy veyayin veshêkhâr (vinho) lo' shâthiythiyvâ'eshpokh 'eth-naphshiy liphnêy Adonay
• No grego do Novo Testamento, vinho é οἴνῳ = ino
• Em latim, vinho é vinus.

Vinho é Vinho!
A Bíblia Sagrada não usa nenhum termo simbólico para a palavra vinho ou para oculta-la. Vinho é vinho!!! A Palavra de Deus é a Palavra do Deus Verdadeiro. Não é porque a palavra vinho no decorrer dos séculos sempre esteve banalizada, mundanizada, satanizada, suja, etc. que Deus usaria um termo especial para justificar a presença da “palavra” vinho no contexto da Igreja Primitiva. Não! Um crente nascido de novo não precisa que Deus fique lhe dando explicações especiais disso ou daquilo. Se isso é ou não permitido. Se isso pode ou não pode. Se isso é correto ou incorreto. Não!!! Um crente nascido de novo possui a mente de Cristo (1 Co 2:14-16). Um crente realmente servo sabe que a Bíblia Sagrada é a Palavra de Deus e que nela não há o mínimo sinal de contradição. As revelações de Deus a respeito da santidade de vida e da realidade do pecado jamais serão encontradas numa corda-bamba. Nunca!
Todas as vezes em que a Bíblia refere-se a vinho no Novo Testamento, o termo usado é οἴνῳ em 1 Tm 5:13 – γλεύκους, que significa “vinho novo” em At 2:13 – οἶνον em Mt 9:17. Lc 5:37-38.
Obs: E olha que tanto οἴνῳ quanto οἶνον têm duas etimologias, heim! Imagine se algum fanático resolvesse polemizar com base numa das duas etimologias que acompanham estas duas palavras gregas! São elas, as etimologias: (1) vinho de palmeira e (2) vinho. Com certeza seria briga sem data de encerramento. Mas, a palavra de Deus não pode e nem deve ser defendida com ofensas, discussões infundadas, brigas, etc. Não! Ela é a Palavra de Deus.

O que é Fermentação?

A Fermentação é utilizada na elaboração de bebidas fermentadas, como o vinho e a cerveja. No caso do vinho, a fermentação é utilizada para a obtenção de álcool a partir dos açúcares do suco de uva. Fermentação é um processo bioquímico (bioquímica é o ramo da química que estuda as reações que ocorrem nos organismos vivos) realizado por micro-organismos (organismo microscópio, vegetal ou animal; organismo muito pequeno) que convertem moléculas (moléculas são as mais pequenas partículas de um elemento ou de um composto químico que possa existir no estado livre e que possua ainda todas as propriedades desse elemento ou composto) de carboidratos (açúcares) em álcool, gás carbônico e energia.
Nota: Conforme comentários acima, o vinho, é óbvio, procede do líquido da uva. Trata-se, portanto, de uma bebida fermentada ou, ocasionalmente, não-fermentada procedente da uva. Geralmente, o vinho é uma bebida fermentada com baixo, médio ou alto teor de álcool.

Existe Vinho Não-Fermentado?

O processo de extração de uvas faz-se em grandes vasilhas de madeira semelhante a uma enorme bacia, chamada cuba - na Bíblia, também aparece denominado "lagar", - onde é realizada a espremedura da uva, ou pisa. Atualmente, esse trabalho humano e artesanal é substituído por máquinas que realizam a mesma tarefa. O resultado obtido é um caldo espumoso, de forte coloração vermelha escuro, ligeiramente adocicado, de agradável odor e paladar. Este caldo nada mais é do que o puro suco de uva fresco, livre de qualquer processo de fermentação - ou seja, vinho não-fermentado. A fermentação se dá quando enzimas (moléculas de origem biológica, produzidas por células vivas, que aumentam a velocidade de uma reação bioquímica específica, atuando como catalisador orgânico) produzidas por bactérias, em contato com o produto, entram em ação. No caso do sumo da uva, essas bactérias, alimentando-se do açúcar natural proveniente da fruta, produzem enzimas que convertem esse açúcar em gás carbônico e álcool. O gás se desprende, permanecendo apenas o álcool. Podemos dizer, então, que isto é suco de uva fermentado. A fermentação desse vinho (chamada de fermentação acética), por sua vez, produz o vinagre.
Um exemplo: A massa do pão é um grande exemplo típico de fermentação. O amido (amido é um composto hidrocarbonato muito abundante nos vegetais).... pois bem.... o amido da farinha de trigo é transformado em açúcar, que por sua vez converte-se em álcool e gás carbônico pela ação desses microorganismos. O gás forma bolhas no interior da massa, fazendo-a crescer. Quando é assada, os microorganismos morrem e o álcool evapora, de modo que a massa não apresenta o gosto de álcool e nem o típico paladar azedo de produto que sofreu fermentação. No caso das bebidas alcoólicas, existem aquelas que são adicionadas álcool e as que são o resultado da fermentação direta (é o caso do vinho – por causa da natureza da uva...). ‘O açúcar da uva’, da cana, do malte ou de outra matéria-prima usada é transformado em álcool e gás carbônico; o gás se desprende, permanecendo o álcool na bebida.
Nota: A bebida fermentada, por exemplo, o vinho, sempre precisou de cinco na sete dias para manifestar-se como bebida alcoólica.

Jesus Usou Vinho Fermentado Ou não-fermentado?

1ª Nota: No Velho Testamento, bebidas fermentadas eram proibidas no seio do povo de Deus e jamais deviam ser usadas na casa de Deus. Inclusive, sacerdote algum podia chegar diante de Deus em adoração se tomasse bebida embriagante (Lv 10.9). Jesus Cristo, ao manifestar-Se no Novo Testamento, o fez na qualidade de Sumo-Sacerdote do Altíssimo em favor de um povo santo (Hb 3.1; 5.1-10).
1ª Nota: Em nenhum livro do Evangelho, no momento da celebração da Santa Ceia, a Bíblia revela Jesus citando a palavra vinho. Nunca! Por quê? Porque Jesus usou unicamente o sumo da uva. Isto é, vinho não fermentado, identificado na expressão “fruto da videira” ou “fruto da vide”. 


Textos originais do Novo Testamento grego:

1. γεννήματος τῆς ἀμπέλου = “fruto da videira”. Mt 26:29.
2. τοῦ γεννήματος τῆς ἀμπέλου = “o fruto da videira”. Mc 14:25.
3. τοῦ γενήματος τῆς ἀμπέλου = “o fruto da videira”. Lc 22:18.

Obs: O vinho fermentado não é produzido pela videira, e sim pela fermentação que destrói grande parte do açúcar natural encontrado na uva, alterando sensivelmente a obra da videira: produzir uvas, e nunca, produto alcoólico.
Obs II
1 Tm 5:23. Μηκέτι (Não mais) ὑδροπότει (tomes água), ἀλλ (mas)᾿ οἴνῳ ( vinho) ὀλίγῳ ( pouco) χρῶ (usa) διὰ (por causa de) τὸν (o) στόμαχόν (estômago) καὶ (e) τὰς (as) πυκνάς (frequentes) σου (tuas) ἀσθενείας (enfermidades).

Paulo recomendou realmente a Timóteo que tomasse um pouco de vinho (em combate a uma doença estomacal em Timóteo)... Com certeza, vinho não fermentado. Afinal, o próprio Paulo declarou-se inimigo público e irreversível daquilo que o vinho fermentado produz no homem. Ef 5:18.

Obs III
Infelizmente, crentes com tendências malignas de alcoólatras, cachaceiros, carnais, mundanos e sempre desejosos de brechas que corroborem com seus desejos de pecados, questionam a veracidade da Palavra de Deus para Seus filhos. Aos santos, revelou o Apóstolo Paulo: “Mas temo que, assim como a serpente enganou Eva com a sua astúcia, assim também sejam de alguma sorte corrompidos os vossos sentidos, e se apartem da simplicidade que há em Cristo”. 2 Co 11:3
Estudos do Pr Joel Machado - Instituto Bíblico de Teologia Cristã Enom - Excelência em Teologia! 
Compartilhar:
←  Anterior Proxima  → Inicio

0 comentários: