29/07/2009

A vida: "A Guerra das Batalhas"

href="http://3.bp.blogspot.com/_4vl03xfmH7o/SnB2ImNKHsI/AAAAAAAAAQE/-O4D4ggOdg0/s1600-h/espada2.jpg">

Quão atemorizante é a palavra “guerra”. Guerra inspira medo, pânico. Quando falamos em guerra estamos falando de violentos eventos para hoje, amanhã... SIM! Guerra não é um negócio que começa hoje e termina ainda hoje. NÃO! Guerra costuma invadir dias, meses e anos.... Guerra é o conjunto de muitas batalhas. Estás preparado para uma guerra? Achas que podes vencer uma guerra? Guerra e batalhas se distinguem. Num só dia muitas batalhas poderão ser travadas. A guerra é o habitat dessas batalhas diversas. Guerra é um evento só. Batalhas são diversos violentos eventos dentro da guerra. Vencer batalhas é uma coisa. Vencer uma guerra é uma outra coisa. Vencer uma batalha gera alegria; uma guerra vencida pode trazer sorrisos por toda a vida. Quem vence uma batalha vence um negócio para hoje. Quem vence uma guerra vence para sempre.
Batalhas e guerra são a mesma coisa? NÃO! Por quê?
A palavra guerra, vem do grego – πόλεμος – pólemos, significa:
1. Uma grande luta com resistência entre dois ou mais oponentes.
2. Série de operações militares.
3. Diversas lutas corpo-a-corpo entre dois ou mais opositores.
4. Conflitos que exigem um grande esforço para obter um fim.
5. Luta à mão armada entre nações com base na inimizade.
6. Ação geral de lutas, entre dois exércitos ou duas esquadras.

Existem diversos tipos de guerra: guerra de nervos – guerra fria – guerra convencional – guerra atômica – guerra “santa” – guerra religiosa – guerra espiritual...

ENTÃO, anotemos, uma guerra é constituída de batalhas. SIM! Uma guerra é constituída de batalhas. Expliquemos: O guerreiro pode perder uma batalha, isso, no entanto, não significa que a guerra esteja perdida. NÃO! Uma guerra pode estar condicionada a 30 (trinta) batalhas – a primeira e a segunda batalhas podem ser perdidas e, no entanto, a guerra, não!!!! Isto é, batalhas perdidas são uma coisa; guerra perdida, uma outra coisa. Uma guerra condicionada a 20 batalhas significa que, o guerreiro pode até perder 19 batalhas e, no entanto, a guerra, condicionada à 20ª batalha ainda está em jogo, em aberto. É a batalha final que define o final da guerra!!!!!!
Por cerca de 17 anos Davi perdeu inúmeras batalhas para Saul. Na batalha final, mesmo estando ele, Davi, à distância dos fatos pertinentes a Israel, Deus o colocou assentado no trono que pertencera a Saul. Faraó mostrou-se vencedor diante de Moisés nas primeiras 9 pragas que caíram sobre o Egito. Na 10ª praga, Deus exaltou o servo Moisés. José viveu toda a pré-adolescência, adolescência e juventude perdendo para seus irmãos. Perdeu até para a ímpia egípcia esposa de Potifar. No final da história, Deus o colocou sobre um trono. Sansão perdeu batalhas espirituais diante de Deus, diante de si mesmo, diante de Dalila e diante dos filisteus. Porém, no final de sua vida natural, mesmo sem a visão física e humilhado pelos homens, Deus o tornou vitorioso sobre os filisteus. Jesus, durante três anos foi perseguido e morto pelos homens. No final, venceu a sepultura e está assentado à direita de Deus.
A vida é um perde-se e ganha. Isso são batalhas ganhas e batalhas perdidas. Guerra perdida, face a inúmeras derrotas sociais, econômicas, espirituais, não significa que uma guerra está perdida. NÃO! NUNCA! JAMAIS! Batalha é uma coisa; guerra, é uma outra coisa. Batalhas perdidas são uma coisa; guerra perdida é uma outra coisa. Uma guerra condicionada a 10 batalhas, podemos até perder as 9 primeiras batalhas, a 10ª batalha, NÃÃÃÃÃÃO! A décima batalha decide a guerra!!!!! As 9 batalhas anteriores perdidas poderão levar-nos às lágrimas, ao medo, ao pavor... porém, elas poderão ser esquecidas se vencermos a batalha final. Aleluia!!!!!!
COLOQUEMOS um negócio dentro de nós: batalhas podem ser perdidas. A guerra, não!!!! Batalhas vencidas ou batalhas perdidas não significam que uma guerra está perdida ou ganha – NÃO! O que definirá a grande vitória ou a terrível derrota é a última batalha de uma guerra travada. SANTOS, percamos batalhas. É possível e até aceitável derrotas na vida cotidiana. Somos humanos, falíveis – batalhas perdidas são possíveis sim!!!!! José, Abraão, Jacó, Moisés, Davi, Paulo, Pedro...perderam batalhas. Derrotas aqui ou derrotas ali – derrotas hoje ou derrotas amanhã não maculam crentes em Deus. Não definem o encerramento de uma vida – de uma história – NUNCA! Existem derrotas sociais, econômicas, espirituais.... Evitemos perder, no entanto, a guerra. SIM, a guerra social – a guerra econômica – a guerra de nervos e, sobretudo, a guerra espiritual. SIM! Evitemos perder a guerra espiritual. Perder a guerra espiritual é sinônimo de Inferno, Lago de Fogo e Enxofre.... Vencer uma ou mais batalhas – ou perder uma ou diversas batalhas é uma coisa. Vencer a batalha final é vencer a guerra e, vencer a guerra é uma outra coisa. É o ápice da alegria. É o ápice da conquista. Vencer a batalha final é o ato final da guerra. É COISA DE GUERREIRO. É coisa de gente que não desiste NUUUUUUNCA.

YHWH SHALOM

Adelson R. Buenos
www.teologiamakarios.blogspot.com
Compartilhar:
←  Anterior Proxima  → Inicio

0 comentários: