02/11/2014

A Teologia da Transfiguração de Jesus


Mt 17:1-13 
Mc 9:2-13 e Lc 9:28-36 
Um evento literalmente escatológico. 
Uma alusão às duas fases da Volta de Jesus! 
2º ano Ministerial de Jesus.
Ministério no território da Galiléia.
Lugar: Norte de Israel – Galiléia.
Local: Um monte galileu não identificado. Um alto monte (Mt 17:1; Mc 9:2). 

Manifestação do evento: Jesus sobe a um monte. Um monte não 
identificado  (Lc 9:28)  e mostra-Se sozinho com alguns de Seus discípulos. 
Os mais íntimos Dele. 
Obs.: Somente alguns da Igreja de Jesus poderão entender a mensagem da transfiguração – Ou seja, é preciso ser íntimo Dele.
Nota: A transfiguração de Jesus encontra-se registrada nos três primeiros livros do Evangelho. Nesses três livros (Mateus, Marcos e Lucas), no entanto, em nenhum momento o Espírito Santo identifica o monte onde deu -se o esplêndido e majestoso fato. Algo inédito não somente dentro do território da Galiléia, mas também aos olhos dos discípulos do Senhor (certamente, assustados). Lucas, no  Capítulo 9 de seu livro (vv 28), revela-nos que, o Senhor Jesus, acompanhado de Pedro, Tiago e João, subiu ao monte para orar (a Bíblia não identifica nominalmente o monte) e, já em atividade de oração, transfigurou-Se de forma surpreendente diante dos três discípulos, certamente, pasmos, assustados. O rosto e as vestes de Jesus, segundo Lucas, não ficaram apenas brancos, mas também emitiam um grande e forte resplendor de luz. 
Mateus revela que:  ...o seu rosto resplandeceu como o sol, e as suas vestes se tornaram brancas como a luz (Mt 17:2). Revelação de Marcos: ...as suas vestes tornaram-se resplandecentes, em extremo brancas 
como a neve  –  Mc 9:3. De imediato, a Palavra de Deus revela-nos que Moisés e Elias desceram do Céu (SIM! AMBOS VIERAM DIRETAMENTE DO TERCEIRO CÉU. DEUS MESMO OS ENVIOU  –  DESCERAM ESPECIFICAMENTE NO TERRITÓRIO DA GALILÉIA)  e uniram-se a 
Ele em diálogo! 
Dentre alguns significados que o evento oferece, destacamos a parte escatológica. Sim! O episódio mostra-nos  fatos pertinentes não somente ao Arrebatamento da Igreja, mas também oferece-nos uma expressiva revelação inerente à nação de Israel  –  os hebreus não serão arrebatados. Então, como descobri-los na mensagem da transfiguração? 
A Aparição de Moisés:  Representa os servos que virão do Paraíso 
Celestial acompanhando o Senhor Jesus no momento do arrebatamento. Os servos que tombaram à sepultura  –  ou seja, os santos que morreram na terra. 
Desceram à sepultura. Moisés, aqui, representa-os.
A Aparição de Elias: Elias representa os servos que serão arrebatados estando ainda em vida física. Ou seja, a presença desse profeta aponta para todos os servos de Deus que estarão fisicamente vivos por ocasião do Arrebatamento 
da Igreja. 

Jesus Cristo resplandecente como o Sol
17:2>: Aponta para a Glória Pessoal de Jesus no arrebatamento. Ele, Jesus, é muito mais que o Sol da Justiça revelado em Malaquias 4, Ele é a Glória Eterna de Deus-Pai – O ápice da Glória encontra-se Nele. 
APRENDAMOS, PORTANTO, DUAS COISAS:
Primeira:  Jesus Cristo, em Si mesmo, é a maior expressão da Glória do Pai. Ou seja, Ele é a Glória maior – a Glória Eterna.
Segunda: É plenamente possível e necessário à Igreja que, a Glória do Pai que está no Filho, flua em benefício do povo do Pai. 2 Cr 5:1-14.
Moisés e Elias conversando com o Senhor Jesus:
Aponta para a glorificação da Igreja arrebatada ao ver-se face-a-face com Jesus nas nuvens do Céu. Santos procedentes do Paraíso e da terra darão brados em altíssimo som nesse festivo dia, quando, pela primeira vez, verão o Filho de Deus em estado de intensa Glória. A Nuvem Luminosa cobrindo Moisés, Elias e 
Jesus: Aponta para a marcha triunfal da Igreja arrebatada dentro de domínios celestiais em direção ao segundo destino, ou seja, após arrebatada  às nuvens, a Igreja será conduzida ao Terceiro Céu, especificamente, à Sala do Tribunal de 
Cristo  –  Rm 14:10 (parte final). Após a Igreja ser encoberta pelas nuvens celestiais, nunca mais a atual terra tornará vê-la. Os santos estarão para sempre com o Senhor. 
A Voz de Deus dentro da nuvem Glorificando o 
Filho Unigênito:  Aponta para a participação de Deus-Pai no 
Arrebatamento da Igreja. 1º Ts 4:13-18.
Pedro, Tiago e João: Aqui a mensagem possui caráter duplo: 
PRIMEIRO: Aponta para a parte da Igreja que  não  será arrebatada, e que, tempos depois, receberá o título espiritual de “Igreja dos Mártires da Grande Tribulação”. Prestemos atenção: O Senhor Jesus, Elias e Moisés foram envolvidos numa grande nuvem, deixando os três discípulos pra trás! Eles não 
participaram do evento!  
SEGUNDO: Pedro, Tiago e João, simultaneamente, também representam a Nação de Israel  que não participará  do Arrebatamento da Igreja, e 
sim do período milenar destinado ao país hebreu, após os horrores da Grande Tribulação. SIM! Pedro, Tiago e João eram três hebreus. Três representantes da Nação de Israel. Na visão da transfiguração eles não acompanharam o Senhor Jesus, Pedro e João. Ficaram para trás. Após a Igreja subir, Israel ficará para trás. 
Nota: A indiferença do Céu diante do pedido de Pedro – Sim! A solicitação de Pedro foi bruscamente ignorada quando uma nuvem encobriu o Senhor Jesus, Moisés e Elias.  (Mc 9:5)  –  Esse fato aponta para o inútil grito de reconhecimento e desespero que será procedido pelo povo não arrebatado. O povo que ficará para trás. O povo de Laodicéia. É a revelação de  Cantares de Salomão 6:13  “Volta, volta, ó sulamita, volta, volta, para que nós te vejamos”. Indiferente aos gritos daqueles que não se prepararam o 
grande evento da primeira fase da Volta de Jesus, uma nuvem encobrirá a Igreja para sempre e sempre. 
O grito desesperado  do povo da facção da Igreja que não será 
arrebatada. Volta! Volta! A Igreja de Jesus vai deixar uma saudade 
desesperadora! Uma saudade capaz de gerar derrames cerebrais, doenças  e mortes cardíacas.  Volta para que nós te vejamos. Isto é, volta porque agora te ouviremos! Volta porque agora obedeceremos! Volta porque agora nos arrependeremos e viveremos em paz contigo! Volta porque, agora, sabemos que 
andas na verdade. Volta! Volta! Que miséria, hein!
Epílogo
O momento do Arrebatamento da Igreja  de Jesus  é chegado. 
Os ciclos de encerramento de todas as coisas,  fatos, pessoas, etc.  aproximaram-se.  Estão muito próximos da terra.  As horas da noite profética estão avançadas. 
Ora vem, Senhor Jesus! Amém!
Comentários do Pr Joel Machado
Compartilhar:
←  Anterior Proxima  → Inicio

0 comentários: