09/11/2014

O CASAMENTO JUDEU E A IGREJA DE CRISTO

O casamento dos hebreus, o povo de Israel, trata-se de um  evento especialíssimo  no país israelense  e literalmente bastante distinto  das uniões conjugais no seio das nações gentílicas, isto é, todas as nações terrestres à margem dos limites territoriais de Israel. Desse modelo de matrimônio  hebreu, podemos, inclusive, subtrair subsídios no que tange à vida da Igreja de Jesus. 
NO casamento nos tempos bíblicos era arranjado pelos pais ou familiares do jovem  casal.  Expliquemos:  Todos os filhos primogênitos precisavam contrair matrimônio para herdar legalmente a fortuna de seus pais  (apenas o homem) após a morte física desses. Caso não contraíssem matrimônio, a fortuna do pai 
era subdividida entre todos os parentes do morto.  Aqui, nesta matéria, não faremos comentário a respeito de direitos de herança de filhos primogênitos, e sim a respeito do matrimônio de todos e quaisquer filhos no seio de uma família, tanto o rapaz quanto a moça, uma questão mais à parte po r tratar-se do lado feminino na sociedade matrimonial.  O pai  do rapaz, consequentemente, então, 
estabelecia os  projetos  para o futuro de seu filho e procurava uma jovem dentro de sua própria  parentela  para lhe ser  entregue  por esposa  (casamento entre primos era muito comum, como no caso de Isaque e Rebeca,  de Jacó, Lia  ou Léia e Raquel). 
Nota: A Igreja  de Jesus, para contrair matrimônio com o Filho de Deus por ocasião do arrebatamento, e, consequentemente, ser conduzida a uma festiva  e abastada  bodas matrimoniais de sete anos, precisa possuir parentesco com o patriarca Abraão, patriarca natural da Nação de Israel, que, por causa do próprio Abraão,  possui parentesco com o povo de Deus identificado como a Igreja de Jesus. Afinal, lá, em Israel, nasceu o Nosso irmão primogênito: Jesus Cristo. 
A cerimônia de casamento começava oficialmente com o noivado. O noivado tinha o valor de  compromisso de casamento totalmente assumido  e extremamente sério! Tanto a Noiva quanto o Noivo não podiam falhar de forma comprometedora no que tange a caráter moral!  No ato do noivado, inclusive, determinava-se o dia do casamento!  Outrossim,  a partir do noivado declarado, 
ambos referiam-se um ao outro como esposo e esposa antes mesmo de contrair de forma prática o casamento.  Um clima de intensa festa tomava conta tanto da noiva quanto do noivo. As duas famílias alegravam-se muito e, imediatamente, começavam os preparativos para o dia do matrimônio. Tanto as amigas da noiva quanto os amigos íntimos do noivo eram avisados e convidados de forma especial à festa nupcial. Então, o  noivado era algo extremamente sério e nada poderia, a partir de então, justificar um ato de traição, por exemplo.  Caso o noivo, por algum motivo  negativo  sério, desejasse deixar a noiva,  encerrando o compromisso de casamento,  o ato obrigava-o fazê-lo de forma clara  –  nada de informalidade era permitido ao rapaz.  
Nota: A Igreja  de Jesus  já vive o clima do arrebatamento,  a expectativa  da Volta do Filho de Deus  –  Inclusive, a Igreja  a ser arrebatada, não é identificada apenas como a noiva de Jesus nas páginas do Novo Testamento, mas também manifesta-se como  esposa!  Mc 2:19.  Ap 19:7.  Outrossim, as amigas da noiva são os membros  100% fiéis  da Igreja na localidade! Os amigos do noivo são de natureza celestial –  trata-se do Espírito Santo e dos anjos!  Tanto na terra quanto no Céu,  antes que manifeste-se esse inigualável grande e festivo dia. Todos esses amigos, além da noiva e do Noivo, precisam viver em clima de festa!  Os cultos da Igreja Local precisam ser cultos festivos!  Os servos de Jesus, os amigos da Noiva, precisam ser pessoas alegres, felizes, jubilantes! Na qualidade de amigo da Noiva de Jesus, não existe e nem jamais poderá haver cristão triste, desanimado, acabrunhado. Não! Paulo, recomenda: “Consolai-vos uns aos outros com estas palavras” (que palavras? Seremos arrebatados!!!)  – 1º Ts 4:18.
Pelo grande amor que nutrimos pelo Deus Todo-Poderoso, não confundamos cultos festivos com shows.  Show é evento de denominações, instituições chamadas cristãs e coisas do mesmo naipe. O Templo da Igreja de Jesus não é auditório de SBT, Globo, Record, etc. Não! Culto festivo é adoração que envolve glorificações a Jesus  –  Batismo com o Espírito Santo  –  Revelações  –Louvores genuinamente louvores a Deus. Outrossim,  jamais haverá alguém capaz de desmanchar o compromisso da Igreja Noiva com o Eterno Noivo  Jesus Cristo.  Ninguém!  Absolutamente, ninguém. Satanás, seus agentes, o mundanismo cruel que instalou-se entre  os povos têm desmanchado compromissos de fidelidade de milhares de igrejas locais que tentam imitar a Igreja Noiva  –  Portanto, desmanchar compromissos de instituições cristãs evangélicas é e sempre será possível – porém, desmanchar os compromissos e as responsabilidades da Igreja Noiva, nunca, jamais!  A Igreja  Noiva  está selada com o Espírito Santo,  o  amigo do Noivo  que foi  enviado pelo Pai do Noivo  à terra  exatamente para mantê-la compromissada, santa, imaculada, perfeita, correta, separada daqueles que convidam-na a participar de traições.  João 14:16-17. Ef 1:13.
Uma jovem que  quebrasse a fidelidade matrimonial  no período de noivado era  declarada  mulher desmoralizada e  adúltera, e, consequentemente,  sofria a pena imposta pela lei do cônjuge que  adulterasse: A  pena de morte  (leiamos atentamente Deuteronômio 22:23-27). 
Nota: Muitas Igrejas locais estão condenadas à morte  –  São noivas traidoras. Quebraram todos os padrões de fidelidade moral e espiritual  assumidos com o Noivo Eterno.  Tornaram-se mentirosas, enganadoras, adúlteras, promíscuas. 
Uniram-se ao mundanismo – assumiram compromissos com demônios imundos, imorais, etc.  Estão de caso com homens rotulados de cristãos ministros da Palavra de Deus, mas seus atos revelam-nos como lobos devoradores –  raposas, velhacos, mercenários.  Muitas  dessas noivas traidoras, inclusive, já morreram! 
Não aguentaram as pedradas que lhe foram lançadas.  Sobrou-lhes apenas os templos e uma meia-dúzia de gente que não sabe distinguir absolutamente nada. 
Outras  noivas  igualmente traidoras, ainda não morreram, mas já encontram-se em processo de apedrejamento. 
Se o noivo morresse antes da consumação do casamento, a noiva era considerada como uma viúva  –  uma viúva que não conhecera o casamento na prática. Por isto, um  rapaz comprometido em noivado era dispensado do serviço militar, assegurando-se assim que nenhuma calamidade de guerra pudesse impossibilitar a consumação do casamento.  
Nota:  Jesus, o Filho de Deus, o Senhor ressurreto  –  Aquele que venceu a morte, não  pode morrer jamais! Aleluia! Então, acreditemos ou não, vai haver casamento, sim! O arrebatamento da Igreja Noiva é a maior das maiores realidades! Aleluia! Brevemente, talvez ainda hoje,  haverá  o maior  casamento da história de todos os tempos nas nuvens do Céu. 
O período de noivado durava cerca de 12  (doze)  meses, e a jovem permanecia na casa dos seus pais, descendentes de Abraão  (a Igreja local é descendente espiritual de Abraão),  preparando  as vestes específicas para o momento festivamente esperado. O noivo, por outro lado, também trabalhava no preparo de uma casa especialíssima para sua noiva.  Além do vestido,  no que tange aos diversos preparos da noiva,  encontrava-se o véu para o rosto (não podia desproteger as duas faces  do rosto  antes de estar face-a-face com o noivo –  Gn 24:65), os enfeites para a parte superior da cabeça  (um arco geralmente branco cravejado de pedras preciosas), um par de luvas para  cobrir a pele das 
mãos, as sandálias  e, sobretudo, verificar todos os dias o dote deixado pelo noivo por ocasião da abertura do compromisso entre os dois! A ausência do dote eliminava o casamento! DOTE era algum  grande  bem do próprio noivo que ele deixava  em poder da  noiva. O DOTE garantia o casamento. Sem o dote, nada feito. Casamento anulado. 
  A CASA  DO PAI DA NOIVA  é a Igreja como O Corpo Espiritual de Jesus, manifesta nas igrejas locais sérias, corretas, santas, santificadas, justas .
O administrador dessa casa é o Espírito Santo de Deus, o dote. Sim, o Espírito Santo é o dote da Igreja Noiva!!! Sem  a presença Dele, casamento desfeito! 
  A NOIVA PREPARANDO SEU ENXOVAL  aponta para a Igreja  de Jesus  estudando a Palavra de Deus-Pai e deixando-se direcionar por ela e nela  –  É a Igreja  orando  sem cessar,  santificando-se cada vez mais, consagrando-se  diuturnamente,  mantendo todos os padrões de fidelidade a 
Deus, fazendo missões, glorificando o Senhor  Jesus e Seu excelso Nome  –  É a Igreja comprometida diuturnamente com a mensagem do Calvário e sempre dizendo “não” a Satanás, seu maior e mais ferrenho inimigo.  Assim como o casamento natural possui inúmeros inimigos que gostariam de desmanchá-lo, a Igreja Noiva também possui grandes, indomáveis e terríveis inimigos que gostariam de desmanchar esse esplêndido casamento! Dentre esses inimigos, destaca-se o  Diabo! Motivo? Inveja, raiva, ódio. O lugar de destaque no Céu era unicamente dele!!!   
  O NOIVO PREPARANDO  LUGARES DISTINTOS NA FUTURA CASA revela-se em João 14:1ss.
Para a cerimônia de  bodas  (BODAS ERA O PRÓPRIO CASAMENTO ACOMPANHADO DE TODAS SUAS RIQUEZAS  MANIFESTAS LOGO APÓS A CONSOLIDAÇÃO DO CASAMENTO –  DE ACORDO COM AS POSSES ECONÔMICAS DO PAI DO NOIVO, O QUAL BANCAVA A 
FESTA, COSTUMAVAM DEMORAR MUITOS DIAS), a noiva 
literalmente se adornava como uma rainha. Ela se banhava, se vestia com as vestes mais finas que as posses de seus pais lhe permitiam. Seus  cabelos  eram enfeitados com o maior número possível de pedras preciosas e enfeites de pedras preciosas e  ouro. A família, inclusive, enfrentava apertos terríveis, para manter sua compostura de noiva linda, esplêndida, digna de ser admirada e elogiada. 
Não era nada fácil manter uma noiva em Israel nos dias bíblicos.  (Leiamos Salmos 45:13-14; Isaías 61:10; Ezequiel 16:11-13). 
Nota:  À  medida  que o momento do arrebatamento da Igreja se aproxima, a Igreja Noiva mostra-se mais bela  –  mais linda  –  mais que perfeita.  A Igreja Noiva continua dizendo “não” às belezas e ofertas mundanas: Igreja linda! A Igreja Noiva continua inimiga do Diabo: Igreja  Linda! A Igreja Noiva continua não aceitando acordos comprometedores: Igreja Linda! A Igreja Noiva continua em estilo de cafonice: Igreja Linda!!! A Igreja Noiva continua dizendo que não aceita o sistema religioso e moral montado na terra: Igreja linda!!!  A Igreja Noiva continua não se envolvendo com sistemas que dizem-se protetores dela quando as circunstâncias mudarem de lado: Igreja linda!!! A Igreja Noiva continua dizendo “não” ao comportamento dos homens que dirigem o Estado da Confederação ou a própria confederação: Igreja Linda!!! A Igreja Noiva continua louvando o nome do Senhor, quando muitos crentes só bem cantar. 
Igreja lindíssima!!! A Igreja Noiva não adotou medalhões para si, como muitas igrejas locais o fizeram. Igreja Linda!!! A Igreja Noiva n ão aceitou  a adoção de homens como centro de suas adorações a Deus. Igreja Linda!!!  A Igreja Noiva não aceita pregadores ou ensinadores de Bíblia, e sim, profetas que profetizam com a Bíblia aberta. Igreja lindíssima!!! Ap 22:11.
Um grupo de jovens amigas,  intituladas  “companheiras” ou "virgens", cooperavam com a noiva no que tange às vestes especiais para o grande dia festivo do matrimônio. O noivo, por seu turno, usava vestes de monarca, usando roupas caríssimas,  adornando-se do  que de melhor dispunha em termos de roupas  (Isaías 61:10).  Há um hino que diz: Oh, que festivo dia!!!  No dia matrimonial tão aguardado, acompanhado de um grupo de jovens rapazes, intitulados  "companheiros" ou "valentes"  do noivo,  o  moço deixava  sua casa e se dirigia à casa dos pais da noiva. 
RAPAZES COMPANHEIROS E VALENTES: Trata-se dos  anjos do Senhor que acompanharão Jesus Cristo  (o Noivo)  até às nuvens celestiais...  Eles virão aos brados.... 1º Ts 4:13-18.
Nos tempos de Yeshua' [Jesus] a cerimônia  matrimonial  era realizada à noite, e os companheiros do noivo levavam consigo tochas acesas para iluminar o caminho em direção à casa da noiva. Uma vez chegando à residência da noiva, esta o  esperava  debaixo de grandes expectativas  –  suas companheiras,
acompanhando-a, portavam  lâmpadas de óleo acesas.  Ao aproximar-se o noivo, a noiva se cobria totalmente com um véu a ser retirado somente após o casamento. 
Nota:  (1) O arrebatamento da Igreja de Jesus dar-se-á numa grande e espessa noite espiritual – à meia-noite. Mt 25:1-6.
Nota:  (2)  Na época de Jacó, o véu só era retirado após a primeira noite de núpcias, quando o casamento já   tinha se consumado. Isto explica a razão de Jacó não saber que estava se casando com Lia em vez de Raquel  (ver Gênesis 29:23-25). 
Nota:  (3) Jesus Cristo conhece Sua noiva  –  há cerca de dois mil anos ele a vê face-a-face. 
A noiva subia a uma  liteira  [liteira trata-se de uma estrutura de madeira com cadeiras no alto usadas  no Mundo Antigo  para transportar pessoas de alta posição social]  e sentava-se ao lado do seu noivo.  Eles, então, eram  transportados num cortejo repleto de músicas especiais  e alegria  em direção ao novo lar do casal [ver Cantares 3:6-11 e Mateus 25:1-13]. 
Nota: A Igreja Noiva, no dia do arrebatamento, subirá, guiada pelo Espírito Santo,  até às nuvens celestiais e, de lá, será conduzida pelo próprio Senhor  Jesus  Cristo, o tão esperado Noivo, até às 
mansões celestiais eternas.
Uma vez na casa dos noivos, começava-se então a Festa das  Bodas que se estendia por “sete dias” [Gênesis 29:27-28; Juízes 14:12; João 2:2-10]. 
A FESTA DAS BODAS, logo após a Igreja de Jesus deixar a Sala do Tribunal de Cristo e a Sala do Trono de Deus, onde será oficialmente justificada, terá duração de sete anos, ou seja, a Noiva  permanecerá  no  Banquete das  Bodas enquanto perdurar a Grande Tribulação na terra.
Os festejos  ocupavam a maior parte do dia e uma parte da noite. O jovem casal se assentava sobre uma plataforma coberta  e,  durante os festejos,  os convidados traziam os seus presentes. Logo em seguida, as bênçãos do  Deus de Israel  eram invocadas sobre os noivos, e o compromisso de uma aliança solene era assumido por eles diante de Deus e diante de todos os convivas  (Ezequiel 
16:8; Malaquias 2:14). A Noiva de Jesus será ricamente galardoada logo após o arrebatamento. A distribuição dos riquíssimos galardões irá do momento pós-Sala do Tribunal de Cristo até à Nova Terra. Leiamos atentamente:  1º Co 9:25. 
2º Tm 4:8. Tg 1:12. 1º Pd 5:1-4. Ap 2:10 e Ap 5:9-10. 
Nas famílias mais abastadas,  ricas, o  pai  do noivo providenciava  "vestes nupciais" especiais para todos os convidados [Mateus 22:12].  
Nota: Todos os arrebatados, no grande e festivo dia matrimonial entre a Igreja Noiva e Jesus Cristo, o Noivo Eterno, receberão vestes nupciais que serão conhecidas somente no momento do matrimônio. Serão vestes de linho branco doadas pelo Pai do Noivo, o Todo-Poderoso Deus Criador e Redentor. Aleluia!
Estudos do Pr Joel Machado - Instituto Bíblico de Teologia Cristã Enom - Excelência em Teologia! 
Compartilhar:
←  Anterior Proxima  → Inicio

2 comentários:

António Jesus Batalha disse...

Muito bom o seu blog, estive a percorre-lo li alguma coisa, porque espero voltar mais algumas vezes,
deu para perceber a sua dedicação em partilhar o seu saber.
Se me der a honra de visitar e ler algumas coisas no Peregrino e servo ficarei radiante.
E se gostar e desejar comente.
Como já estamos perto do Natal, desejo-lhe um Natal Feliz e cheio de paz e saúde.
Que Deus vos abençõe e guarde.
António.
http://peregrinoeservoantoniobatalha.blogspot.pt/

Jessica Cruz disse...

Muito bom aprender com um Homem de Deus 👏👏👏👏 pelo belíssima estudo..