04/11/2015

A TEOLOGIA DO NOVO NASCIMENTO

Texto bíblico: João 3:1-10

1. E havia entre os fariseus um homem, chamado Nicodemos, príncipe dos judeus.
2. Este foi ter de noite com Jesus, e disse-lhe: Rabi, bem sabemos que és Mestre, vindo de Deus; porque ninguém pode fazer estes sinais que tu fazes, se Deus não for com ele.
3. Jesus respondeu, e disse-lhe: Na verdade, na verdade te digo que ‘aquele que não nascer de novo, não pode ver o Reino de Deus’.
4. Disse-lhe Nicodemos: Como pode um homem nascer, sendo velho? Pode, porventura, tornar a entrar no ventre de sua mãe, e nascer?
5. Jesus respondeu: Na verdade, na verdade te digo que ‘aquele que não nascer da água e do Espírito, não pode entrar no reino de Deus’.
6. O que é nascido da carne é carne, e o que é nascido do Espírito é espírito.
7. Não te maravilhes que eu disse a ti: ‘Necessário vos é nascer de novo’.
8. O vento assopra onde quer, e ouves a sua voz, mas não sabes de onde vem, nem para onde vai; assim é todo aquele que é nascido do Espírito.
9. Nicodemos respondeu, e disse-lhe: Como pode ser isso?
10. Jesus respondeu, e disse-lhe: Tu és mestre de Israel, e não sabes isto?

Introdução

Por que a expressão ‘Novo Nascimento’? – O que é “Novo Nascimento”? Como entender esta doutrina 100% Cristológica?
O Novo Nascimento é o ponto de partida do crente em direção ao Céu dos céus. É a plataforma de lançamento do cristão até às moradas eternas.
Então, entendamos, a partida do crente em direção ao Céu não começa numa instituição evangélica, e sim, a partida à eternidade com Deus começa naquilo que a Bíblia chama de “nova criatura”.
O que a Palavra de Deus revela-nos sobre o novo nascimento?
Por onde, quando e como começa o novo nascimento no ser humano?
A pergunta de Nicodemos: Como pode um homem nascer, sendo velho?

O Homem: Uma Tricotomia
Grego: Trichotomya – τριχοτoμυα
1º Ts 5:23
A palavra tricotomia vem do idioma grego e, etimologicamente, no que diz respeito à criatura humana, significa: Divisão em três partes, classes ou elementos ou divisão de um gênero em três espécies. Isto não significa dizer que o ser humano seja um grupo de três elementos distintos com naturezas distintas abrigados num só corpo. Não! O homem possui sim, uma só natureza, porém, triuna. Do ponto de vista criativo de Deus, aprouve a Ele, O Eterno Criador, à sua semelhança, criar o homem subdividindo-o em três partes literalmente distintas. Isto é: O Deus trino (composto de três divindades) criou o homem triuno – do grego τριστός  tristós: Três em um.

• O “espírito” – do hb rüah e do gr πνεῦμα –  pnevma. Sl 32:2. 51:10 e 12.
Nota: O espírito humano é um ser pessoal vivo, que, obviamente, habita dentro do corpo físico da pessoa. É a verdadeira e real identidade da pessoa física. É a sede da consciência humana e do poder de crença. O espírito humano é tão importante aos olhos de Deus que, a salvação eterna inserida no homem começa exatamente nele. É através do espírito que o homem tem relação com Deus. Palavras de Davi: “Cria em mim, ó Deus, um coração puro e renova em mim um espírito reto – não me lances fora da tua presença e não retires de mim o teu Espírito Santo – Torna a dar-me a alegria da tua salvação e sustém-me com um espírito voluntário”. Sl 51:10-12.
O espírito e a alma formam juntos o homem interior: 2 Co 4:16. Ef 3:16.
O espírito e a alma constituem-se na parte imortal do ser humano. Segundo a Bíblia Sagrada, há diferença entre o espírito e a alma: Hb 4:12. Portanto, há uma divisão entre o espírito e a alma.
Obs: Quando o espírito e a alma deixam o corpo físico, este morre e retorna ao pó da terra. O espírito e a alma, uma vez que são inseparáveis, retornam a Deus, ou seja, ficam à disposição do Criador para que este  lhes dê destino com base naquilo que o corpo físico da pessoa fez em vida terrestre. Textos Bíblico: Tg 2:22. Lc 8:54. At 20:19. 1 Rs 17:20-22. Ec 12:7. Lc 23:43. Ap 6:9. Hb 12:23. 2 Co 5:8. Lc 16:23.

• A “alma” – do hb. nephesh e do gr ψυχὴ –  psychí. Filipenses 2:2-5. 4:7-9.

Nota: A alma identifica-se como parte incorpórea (que não possui corpo), imaterial do ser humano. Manifesta-se como parte ativa da pessoa e é exatamente nela que se localiza o conjunto das faculdades intelectuais e morais do homem. É a sede dos seguintes instintos: a vontade, o intelecto, a razão, o sentimento. De lá, procedem os exercícios intelectuais, as paixões, os desejos, os sentimentos, a generosidade, etc. O espírito é de caráter pessoal, a alma, não! É através da alma que as impressões do mundo, boas ou ruins, penetram no espírito do homem.
Conforme observamos na página anterior, a alma, lado-a-lado com o espírito, formam “o homem interior”. Enquanto o espírito manifesta-se como a sede das relações entre o homem e Deus, a alma é o elemento que ativa tanto a vida física quanto a espiritual.

•    O “corpo” (físico) – do hebraico guf e do grego σῶμα – sôma 1 Ts 5.23. Rm 6:12-14. 19. 22 e 23.
Nota: O corpo físico é o tabernáculo em que o homem interior habita: 2 Pd 1:14. 2 Co 5:1.

Obs: espírito, alma e corpo físico se diferenciam em natureza e funcionalidade uma da outra, isto é, ainda que estejam interligadas entre si, as funções do espírito, da alma e do corpo físico são diferentes, distintas.
Origem do Corpo Físico: Barro. Gn 2:7ª.
Origem do Corpo Espiritual: O Sopro do Criador. Gn 2:7B.

O Espírito Humano e a Alma Ativos Após a Morte do Corpo Físico
No Capítulo 16 de Lucas, A parábola do Rico e Lázaro

A parábola do rico (πλουσιος – plusios = rico) e Lázaro (λαζαρον – lazaron = Lázaro), trata-se de uma das mais conhecidas e comentadas parábolas do Novo Testamento. Jesus Cristo a usou para falar não apenas da realidade do Inferno, mas, também, da imortalidade da alma e do espírito humano após a morte física.

Verdades básicas extraídas desta parábola

1. O RICO: Representa não somente o pecador não arrependido de seus atos pecaminosos, mas também a soberba, o orgulho, a vaidade, a presunção, o egoísmo, etc.
2. LÁZARO: Não é representante da pobreza, da infelicidade, dos infortúnios. NÃO! Lázaro representa aquilo que realmente a Igreja  e seus membros  enfrentam  diante dos poderes  sociais:  rejeição, escárnios, ironias, desprezo, indiferentismo.    
O HADES - Αδης
“a região dos espíritos após a morte física”
O que significa Hades?
E o termo hebraico sheol, o que tem a ver com o Hades?
A palavra Inferno encontra-se nos originais da Bíblia Sagrada? Com base em que lidamos com a palavra Inferno nas páginas de diversas versões da Bíblia?
Os Termos Hades e Sheol
em Diversas Versões da Bíblia Sagrada
Como identificar o Hades? O Hades, após a morte e ressurreição de Jesus, afastou-se da história espiritual eterna? Anotemos: A palavra Hades aparece 10 (dez) vezes nos mais antigos manuscritos das Bíblias Gregas do Novo Testamento.
Mt 11:23; 16:18.
Lc 10:15; 16:23.
At 2:27, 31.
Ap 1:18; 6:8; 20:13, 14.

Inferno
Análise das palavras erradamente traduzidas por inferno:
Sheol - Este vocábulo aparece 62 (sessenta e duas) vezes no Velho Testamento e, em texto algum suas etimologias apontam para o Inferno. Sheol nunca teve em hebraico a idéia de lugar de suplício para os mortos.
As etimologias da palavra Sheol mostram-na como lugar para onde iam os mortos, por isso é sinônimo de sepultura, ou lugar de silêncio dos mortos.
Jó 7:9 "Assim como uma nuvem esvanece e some, aqueles que descem ao Sheol (isto é, aqueles que descem à sepultura) não voltarão."
Salmo 18:5
5 Tristezas do Sheol (isto é, tristezas da morte física) me cingiram, laços de morte me surpreenderam.
Salmo 86:13 "Pois grande é a tua misericórdia para comigo; e livraste a minha alma das profundezas do Sheol (isto é, livraste a minha alma dos lugares baixos da morte, ou seja, da sepultura)”
Salmo 139:8 "Se subir ao céu, lá tu estás; se fizer no Sheol a minha cama (isto é, se eu habitar em cemitérios, dentro de uma sepultura fechada), eis que tu ali estás também."
Jonas 2:2 “E disse: Na minha angústia clamei ao Senhor, e ele me respondeu; do ventre do Sheol (isto é, nos domínios da sepultura ou: do Vale da Sombra da Morte) gritei, e tu ouviste a minha voz."
Provérbios 30:16 "o Sheol (isto é, a sepultura), a madre estéril, a terra que não se farta d’água, e o fogo que nunca diz: Basta.”

Mesmo que alguém persista em traduzir Sheol por inferno, nos textos bíblicos abaixo, perceberá que a palavra não identifica o sobrenatural Inferno.
Gênesis 42:37-38
37 Mas Rúben falou a seu pai (Jacó), dizendo: Mata os meus dois filhos, se eu to não tornar a trazer; entrega-o em minha mão, e to tornarei a trazer.
38 Ele, porém, disse: Não descerá meu filho convosco; porquanto o seu irmão é morto, e só ele ficou. Se lhe suceder algum desastre pelo caminho em que fordes, fareis descer minhas cãs com tristeza ao Sheol (isto é, à sepultura).
Jonas 2:1-2.
1 E orou Jonas ao Senhor, seu Deus, lá das entranhas do peixe (no fundo das águas do Mar Mediterrâneo).
2 E disse (ou seja: Disse Jonas): Na minha angústia clamei ao Senhor, e ele me respondeu; do ventre do Sheol  gritei (isto é, estive três dias sepultado no ventre de um grande peixe e, de lá, gritei), e tu ouviste a minha voz.

O HADES Αδης
“a região dos espíritos após a morte física”
“Morada dos mortos ou lugar das almas que partem do mundo físico”.
Os gregos dividiam o Hades em duas partes: o Elysium (latim procedente do grego Ηλυσιον (Ilysion). Em português clássico: Elísios. Por exemplo: Campos Elísios é Ἠλύσια πεδία – Ilýsia pedía – a habitação dos vitoriosos, e o ταρταρώσας {tartarósas} (2 Pd 2:4 ) – ou τάρταρoω {tártaro} – gr., derivado de τάρταρoς {tártaros}, o mais profundo abismo do Hades a habitação dos ímpios após a morte física.
A Bíblia Sagrada vai um pouco mais além, explicando – logicamente, melhor e mostrando-nos não apenas duas, mas três partes distintas no Hades (o que veremos em comentário abaixo).

O grego Αδης corresponde ao hebraico she’óhl.
she’óhl, significa: Inferno (do grego αιδης = edis), indica cova, região dos mortos, mundo invisível, abismo. Etimologia: “Lugar de trevas”.
O Hades, até que se manifestasse a vitória de Jesus conquistada na cruz, manifestava-se dividido ao meio por um grande e intransponível abismo.
.DE UM LADO: O seio de Abraão, isto é, uma espécie de lugar de descanso (paraíso entre aspas). Lugar dos heróis da Fé do Velho Testamento.
.DE OUTRO LADO: O lugar de tormentos. Espaço reservado aos mortos que, em vida física, marginalizaram a verdade divina.  Em termos de ações diabólicas, nesse lugar encontravam-se:
1. O trono do Diabo.
2. O próprio Diabo e suas  ininterruptas  manifestações malignas.
3. As chaves do Inferno em mãos do próprio Diabo e seu considerável poder...
4. Todos os demônios, que ali  faziam morada desde a queda do Céu.
5. Os mortos procedentes do Velho Testamento, do período inter-bíblico (espaço vazio entre os Livros de Malaquias e Mateus) e dos dias de Jesus (antes da morte do Salvador).
ENTRETANTO, tanto Satanás quanto todos seus espíritos malignos, jamais tiveram poderes capazes de ultrapassar o abismo e penetrar no espaço espiritual do SEIO DE ABRAÃO.
NA DIVISA DO MEIO, repetimos, o grande abismo (Lc 16:26).
Esse abismo, na linguagem de Lucas, em 16:26, é χάσμα = chásma e, etimologicamente, significa:
1. O mais profundo do Hades.
2. Abismo escancarado.
3. Precipício. Despenhadeiro
4. Grande cova.

Habitantes do Grande Abismo

A mais perigosa de todas as castas de espíritos malignos. São anjos que, solidários ao ex-querubim ungido, por ocasião de sua expulsão dos domínios celestiais, mostraram-se aos olhos de Deus uma ferocidade superior aos demais anjos igualmente expulsos. Consequentemente, o próprio Deus os lançou nesse grande abismo. Jamais poderão sair desse grande abismo, a não ser num momento da Grande Tribulação, quando haverá uma autorização divina para que, temporariamente, aterrorizem os habitantes da terra: Lc 16.26. 2 Pe 2.4. Ap 9.1-12

Obs.: O Hades (Αδης = Adis), hoje, é o Inferno (do gr Aιδης = edis). Encontra-se literalmente trancado: Ap 1:18.

1. A parábola mostra-nos dois destinos opostos após a morte física: O CÉU E O INFERNO.
2. A realidade do Inferno é incontestável.
3. A morte física na terra, acompanhada da morte espiritual, gera, inevitavelmente, outra morte: A morte espiritual eterna no Inferno e, mais tarde, no Lago de Fogo e Enxofre.
4. O rico não foi parar no Inferno porque era rico, não!!!! Lázaro não foi conduzido à salvação eterna no seio de Abraão porque era pobre, não!!!! O Céu não é lugar de descanso de pobres, como também o Inferno não é lugar de ricos. A compostura moral e espiritual de ambos, quando ainda em vida física, definiu o futuro dos dois.
5. Tormentos infernais é uma realidade bíblica. O rico não somente enfrentou uma secura incontrolável na língua, por carência de uma mínima gota  d’água, mas também deparou-se com uma eterna tortura mental (alma e espírito).
6. Jesus Cristo revela-nos a existência consciente no inferno após a morte física. No que tange à alma, revela-nos manifestações da razão, da consciência, da memória, do sentimento e da vontade.
7. Uma vez dentro dos domínios infernais, jamais haverá uma segunda oportunidade.
8. A impossibilidade de comunicação entre mortos introduzidos no Inferno e  pessoas vivas sobre a face da terra.
9. Vida com Deus na terra  gera  Céu  após a morte física. Vida sem Deus  na terra gera Inferno após a morte física.
10. No Inferno, segundo LUCAS 16:24-26,  os pecadores ali lançados têm sede de salvação, o que, segundo Jesus, é eternamente impossível alcançar.

Estudos do Pr Joel Machado - Instituto Bíblico de Teologia Cristã Enom - Excelência em Teologia! 

Compartilhar:
←  Anterior Proxima  → Inicio

0 comentários: